sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Benditos sonhos...

Escorreguei. Escorreguei feio mesmo! Não pude resistir aos sonhos fresquinhos da padaria do supermercado. Também quem resiste?! Bom, algumas de vocês devem conseguir, mas não Bridget. Na-na-ni-na-não! Tsc, tsc! Pelo menos não esta Bridget tão decepcionada com as dietas em geral.
Estive pensando em toda a minha trajetória de emagrece-engorda. Venho lutando contra o efeito sanfona há exatos 22 anos. Desde os 10 faço dietas restritivas e nunca aprendi a fórmula para manter o peso. Barra pesada, né? Passar quase toda a adolescência e parte da infância sem poder comer doces ou comendo-os para depois se sentir um lixo. Ninguém merece. Por essas e outras é que decidi pela reeducação alimentar.
Hoje estava conversando com meu marido e disse para ele que, depois de tanto sofrimento para perder peso, de tantas dietas "milagrosas" e de tanta decepção, resolvi abaixar a minha meta de peso de 60kg para 70kg. E vai além. Minha primeira meta é chegar aos 80kg, voltando a vestir várias peças do meu guarda-roupa. Depois, parto para os 70kg, quando vou conseguir vestir todas as peças que tenho. Não sei quando vou chegar a esse peso, mas, sinceramente, não estou muito preocupada mais. Quero é saúde! Me lembra até a música da Rita Lee: "Me cansei de lero lero/Dá licença mas eu vou sair do sério/Quero mais saúde"...
Retomando o raciocínio, depois de me ouvir dizendo isso, meu marido virou para mim e disse: "- Essa foi a decisão mais madura que você já tomou nos útlimos tempos no que diz respeito ao seu peso. Parabéns, meu amor!". E eu fiquei toda boba... mas acho que ele tem razão. Aliás, tenho certeza de que ele tem razão. Tenho feito muita coisa doida pra perder peso (nada contra quem faz coisas doidas pra perder peso) que não funcionaram para mim. Pelo contrário, só me fizeram mal e fizeram com que eu me sentisse ainda mais um lixo. Acho que realmente tomei a decisão mais sensata e, vendo que ele acha o mesmo, me senti mais forte e mais confiante.
Tudo bem que escorreguei com os sonhos. Comi 6 deles. Eram mini-sonhos, daqueles do tamanho de uma bola de golfe, mas ainda assim, 6 sonhos. Mas quer saber? Tudo bem. Não vou mais me martirizar por isso.
E, como boa Fênix, renasço das cinzas triunfante! E volto ao meu propósito, linda e faceira. Sonhos não me derrubam. Ao contrário, alimento-me deles. Literalmente.

6 comentários:

Miss Bones disse...

É isso, lindo texto !!!
Eu também luto contra o efeito sanfona há quase 20 anos... Potzzz, é muito tempo né ?? Com 14 anos já tomava tarja preta, depois desenvolvi TCAP (tarnstorno compulsivo alimentar periódico), depois entrei nos laxantes, depois ficar sem comer... Emagreci, engordei de novo... Enfim, também quero me reeducar, ou me educar de vez, né !!! Vamos nessa, firmes, fortes, em busca de nossos sonhos !!!

beijooo

Cris disse...

Adorei o post. Temos que nos manter no propósito mas sem sofrimento demais, não compensa. Eu continuo no ataque aos doces e tb estou um pouco triste com isso, mas desistir não vamos nunca né amiga!
Beijos Cris.

Marcy! disse...

Faço minhas as palavras do teu marido!!! Inclusive o meu amor, porque tu és uma querida!!!!

Quanto aos sonhos, elimine os seus vestígios com muita ginástica!!!
Yeah!

Beijocas mil!

Juh disse...

Oi!! Adorei o blog!! :O)

Juliana Viruel disse...

Isso é que eu digo que sonhos que se tornam pesadelos. Hahahaha!

Gostei do cafofo, volto mais...

Abraços de uma pré-balzaquiana, fã descontrolada dessa personagem que encarnou minha vida e esqueceu de pagar os direitos autorais.

Anônimo disse...

Sim, provavelmente por isso e